História – Viamão Século XX – Intendentes e prefeitos nas décadas de 20, 30 e 40

Consta na história do nosso município, que o professor Antonio Cailar Barreto Viana foi intendente de Viamão durante os anos de 1924 a 1928. Depois, com a mudança da estrutura política de nomeação, indicação e de eleições, ele foi prefeito de 1936 a 1943, ano em que veio a falecer. Pois de 1943 até início da década de 1950, segundo os arquivos do jornal Correio Rural, o nosso município teve na Prefeitura diversos mandatários, conforme podemos ver a seguir.

Na sua edição de 26 de maio de 1943, o jornal Correio Rural publicou esta notícia:

>>>> “POSSE DO NOVO PREFEITO DE VIAMÃO – Conforme noticiamos, teve lugar sábado último, o ato de posse do novo administrador deste município, dr. Carlos Velho Monteiro, nomeado há dias pelo Governador do Estado, para substituir o saudoso prefeito viamonense professor Barreto Viana…”

Na edição de 29 de setembro de 1945, a notícia estampada referia-se à posse de outro mandatário:

>>>> “EMPOSSADO O NOVO PREFEITO – Teve lugar sábado último, nesta cidade, a posse solene do novo prefeito deste município, dr. Napoleão de Almeida, cuja nomeação feita pelo Governo do Estado, causou o mais vivo contentamento…”

Em 05 de abril de 1947, a notícia trazidas nas páginas era esta:

>>>> “EXONERAÇÃO E NOMEAÇÃO DE PREFEITO MUNICIPAL – Sob a presidência do Coronel Mário Antunes da Veiga, reuniu-se segunda-feira desta semana, em sua sede, nesta cidade, o Diretório do Partido Social Democrático…  Tendo conhecimento o Diretório de que o dr. Napoleão de Almeida, prefeito de Viamão, havia solicitado ao Governo do Estado sua exoneração, escolheu na mesma sessão para substituto daquele, caso fosse atendida aquela solicitação, o Sr. Norberto Inácio de Barcelos, ruralista residente na conhecida “Fazenda do Aterrado”, 1º distrito deste município…”

Em 1947 ocorreram eleições, quando os eleitores viamonenses elegeram novo prefeito. Notícia do Correio Rural na sua edição de 22 de novembro de 1947:

>>>> “ELEITO PREFEITO O SR. LUIZ PINTO CHAVES BARCELOS – Conforme prevíamos, transcorreram relativamente calmas as eleições deste município, realizadas no dia 15 do corrente. Como é do conhecimento público, concorreram ao pleito aqui, por um lado as oposições coligadas, e por outro lado o Partido Social Democrático… Encerrada a apuração na tarde do dia 17, verificou-se que o Sr. Luiz Pinto Chaves Barcelos, candidato das oposições coligadas obteve 2.111 votos e o Sr. Mario Antunes da Veiga, candidato do PSD, 1.335 votos, ambos para Prefeito. Dessa maneira, foi eleito prefeito o Sr. Luiz Pinto Chaves Barcelos e vice-prefeito o Sr. Francisco Pinto Guterres… O eleitorado de Viamão é de 4.132 tendo comparecido às urnas 3.446 eleitores, havendo uma abstenção de 16%…”

Na foto ilustrativa, mostra o prédio onde estava instalada a Prefeitura de Viamão, na rua Maurício Cardoso (hoje o Calçadão Tapir Rocha). Mais tarde aquele local foi cedido ao Banco do Brasil que tem sua agência ali.

Etanol e Manol em Viamão

Pesquisando colhi as seguintes informações sobre e Etanol: “O setor agroindustrial da mandioca gera resíduos que podem representar um grande nicho para a geração de produtos com maior valor agregado. A produção de Etanol a partir do farelo da mandioca tem como principal objetivo obter álcool fino para emprego nas indústrias de bebidas, perfumaria e farmacêutica. Além destas aplicações convencionais, a partir do etanol é possível extrair ainda o hidrogênio, apontado por especialistas como o centro da economia mundial dentro de algumas décadas, pois quando superadas algumas barreiras tecnológicas esse produto poderá ser usado em células combustíveis….”

Pois na década de 1940, os produtores de mandioca em Viamão estavam entusiasmado com a fabricação do “MANOL” que, em mínima análise, é a nascente do futuro surgimento do Etanol. Na sua edição de 31 de outubro de 1942, o Correio Rural publicou esta notícia:

>>>> “FABRICAÇÃO DE MANOL – A noticia veiculada por nosso jornal em sua última edição e referente à fabricação do Manol neste município, causou como era de esperar, a melhor impressão entre os agricultores de todas as zonas, notadamente entre aqueles que com mais afinco se dedicam à plantação da mandioca. Essa notícia relativa à fabricação do combustível do momento, chegou aqui exatamente um dia depois do inventor do Manol, o major Hermigênio Peixoto, ter recebido na linda cidade de Caxias – a Pérola das Colônias – uma expressiva e significativa homenagem pela grandeza extraordinária de seu invento…”

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *